quarta-feira, 27 de agosto de 2008

A coleção de Bill Gates

"Em 1989, o midas da Microsoft fundou uma companhia com a finalidade de colecionar e distribuir imagens digitais, referentes a arte e fotografia tão diversas quanto possível, ou seja, uma biblioteca de imagens que ilustrasse toda a história da humanidade. É a Corbis Corporation, cujo cerne foi a coleção Bettmann, composta de mais de três milhões de imagens, a qual se juntaram inúmeras coleções como as UPI (United Press International), agências Reuters e France Press, assim como, por exemplo, fotos de Ansel Adams ou imagens dos grandes museus do mundo. Atualmente, conta com mais de 16 milhões de imagens. (...) E ainda que nesses primeiros tempos de funcionamento a Corbis venha tendo uma atitude de respeito a fornecedores e usuários de imagens, quem garante o que vai acontecer quando um só homem detiver em suas mãos as imagens das mais expressivas manifestações artísticas e culturais da humanidade?" © Solange Zuñiga (informações extraídas da Home Page da Microsoft) Foto: J. E. Pasonault, 1902 - © Corbis

9 comentários:

Claudio disse...

Meg, será que algum dia teremos que pagar para ver qualquer imagem? Esse monopólio é preocupante...

Meg disse...

Será?
O objetivo de todo arquivo, coleção, é permitir que todos tenham acesso, não é? A coleção de Bill Gates já está causando certo pânico porque o cara está comprando tudo, inclusive textos, como a coleção de escritos de Leonardo da Vinci.
Claudio, voltamos para o tema meios eletrônicos, digitalização de iamgens. Todas as fotos duplicadas por aí aumentariam o valor para quem detém os seus direitos de uso.

Luis disse...

Respondendo a pergunta do texto, acho que os registros de imagens e textos estarão bem guardados. Melhor até do que se estivessem pulverizados entre diversos donos.

E cada vez mais a imagem e o conehcimento é compartilhado, este blog é um exemplo.

Eu tenho livros de eletrônica à psicologia, que copiei da internet. E a oferta é enorme. Todo o tipo de conheicmento esta a disposição de qualquer um, que tenha um computador e uma conexão a internet.

A probibição ou o pagamento de copyright é impraticável neste meio.

A maior empresa do mundo é a maior incentivadora do "share", que é o google. Oferem todo tipo de serviço de graça: softaware de escritório, busca, email, educacional, etc..


Os sites de "sharE" se multiplicam (rapidshare, easyshare, 4share, etc). As bibliotecas virtuais ultrapassam em volumes quaqluer outra física no mundo. E por aí vai.

Bj

Meg disse...

oi Luis,

Não acho legal o monopólio de imagens, obras de arte ou qualquer outra coisa.
Copiamos na net o que é possível copiar, mas o acervo é bem maior. Existem muitas coleções iconográficas que são restritas ao público.
O Google é uma ferramenta de busca para tudo que está disponível na rede, o que tem ver com os direitos de propriedade intelectual?

Beijos

vertigem disse...

meg, o arquivo da agencia corbis ( ex-sygma, que fazia parte do triangulo poderoso de agencias francesas com a gamma e a sipa ) com o genialissimo fundo bettmann, nao tem nada à ver com a reuters ou a afp ! é so um banco de imagens, bem gerenciado comercialmente, onde o staff trabalha demais, em open spaces, tipo caricatura do "executivo americano" ...
acho que a palavra "monopolio" é muito facilmente associada à bill gates por razoes obvias...
quanto ao copyright, nao se compra, nao se vende : é inalienavel, mesmo se possui seu preço !

vertigem disse...

concordo com grande parte do comentario de luis...

Meg disse...

A preocupação com a coleção do Bill é a mesma para qualquer outra colecção de fotos históricas.
A Rosabianca Skira, é um bom exemplo. Eles não permitem a reprodução das fotografias, mas ainda é possível visualizá-las no site e em muitos livros.

Vertigem,
Mudando um pouco de assunto. As imagens na net estão perdendo suas características originais. É um verdadeiro samba do crioulo doido.

Anônimo disse...

Gostaria de saber a quem posso contactar para oferecer mais de 150.000 imagens? no aguardo cida

Meg Rodrigues disse...

Oi, Cida

Fotografias antigas? Doação?
Arquivo Nacional
www.arquivonacional.gov.br