quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Arno Fischer



Arno Fischer começou a fotografar na década de 1950, quando a antiga República Democrática Alemã era o reflexo de uma sociedade dividida, em meio às ruínas no período do pós-guerra. Não interessava a Fischer documentar a destruição de Berlim, o foco eram as estruturas sociais, nos gestos do cotidiano, tendo como influência o trabalho de Robert Frank, especialmente as fotografias do livro The Americans, de 1958. Trabalhou para as revistas, Sybille, Freie Welt e Das Magazin e, em 1967, foi membro do grupo Direkt. Na revista de moda e cultura Sybille, Fischer e os fotógrafos Guenter Rössler, Karol Kállay e Roger Melis, criaram fotos com modelos em atitudes espontâneas, raramente em estúdio, para definir o novo perfil da mulher socialista na Alemanha. Fischer tem cinco livros publicados: imagens de Berlim, Nova York e The Garden, fotografias feitas com uma Polaroid SX-70. Em 2000, Arno Fischer recebeu o Prêmio Erich Salomon da Sociedade Alemã de Fotografia.
Fotos: © Arno Fischer (http://www.arnofischer.com/)

4 comentários:

Clara disse...

Pode-se afirmar que Fischer era um fotógrafo social, ou um sociólogo fotógrafo. O ambiente esquizofrénico da Alemanha do período da Guerra Fria produziu inúmeras fotografias excelentes, devido à tensão e angustia, bem como a força e resistência visíveis nos olhares dos fotografados.

Beijinhos

meg disse...

Outro exemplo fantástico do período pós-guerra são as fotografias do René Burri (Les Allemands). Você gosta? É um dos meus fotógrafos prediletos.

Beijos

Clara disse...

Meg,

Burri tem uma foto que aprecio muito. Foi tirada em Bahia e apresenta uma conjunto de crianças. No centro está uma criança com um bebé ao colo. Sabes qual é?

Beijinhos

meg disse...

Oi Clara,

Não conheço. Onde você viu essa imagem?

Beijos