quinta-feira, 16 de julho de 2009

Pierre Verger: o olhador do mundo

"Consciente ou inconsciente, queria fazer as minhas fotos. Digo inconscientemente, porque tem grande parte do inconsciente quando se faz uma foto. Você faz uma foto e não sabe porque. Depois na ampliação descobre a coisa que você viu sem ter tempo de interpretar (...). O olhar do fotógrafo tem algo de paradoxal, que às vezes encontramos na vida (...) Diríamos que a fotografia separa a atenção da percepção, e libera apenas a primeira, todavia impossível sem a segunda; trata-se, coisa aberrante, de uma noese sem noema, um ato de pensamento sem pensamento, uma mirada sem alvo. No entanto, é esse movimento escandaloso que produz a mais rara qualidade de um ar (...). A fotorretrato é um campo cerrado de forças. Quatro imaginários aí se cruzam, aí se afrontam, aí se deformam. Diante da objetiva, sou ao mesmo tempo: aquele que eu me julgo, aquele que eu gostaria que me julgassem, aquele que o fotógrafo me julga e aquele de que ele se serve para exibir sua arte. Em outras palavras, ato curioso (...)." Pierre Fatumbi Verger
(O Olhar Viajante de Pierre Fatumbi Verger, © Fundação Pierre Verger, Odebrecht, 2002).
Fotos: © Pierre Verger (Brasil)

2 comentários:

Autorretrato disse...

Verger... Um dos grandes fotografos da humanidade... Não ´so pelo olhar... mas também pela sensibilidade

Clara disse...

"Consciente ou inconsciente, queria fazer as minhas fotos. Digo inconscientemente, porque tem grande parte do inconsciente quando se faz uma foto. Você faz uma foto e não sabe porque."

Estava com imensas saudades de absorver o teu saber!

Mil beijinhos