quarta-feira, 13 de junho de 2012

João Pina: Sombra do Condor - fase final


O fotógrafo português João Pina começou hoje uma nova fase para tentar captar fundos para a última etapa do seu  projeto "Sombra do Condor", documentar e fotografar os efeitos da Operação Condor na região do cone sul, um trabalho de investigação em profundidade que leva já sete anos. Pina precisa de fazer uma última viagem ao Paraguai e à Bolívia, para isso, depende dos recursos captados junto a Emphas.is, plataforma de crowdfunding de apoio a projetos como este. 
Foto: © João Pina (O ex coronel Delmé a ser transportado da prisão para a sala do tribunal, durante as sessões do julgamento por crimes contra a humanidade, Argentina)

10 comentários:

Nuno Sousa disse...

É pena que os dtentores dos média não apoiem projectos destes e tenham de ser os próprios fotógrafos a ter de captar meios para financiar os seus projectos.

Meg Rodrigues disse...

Você está certo, Nuno.
Vale lembrar um ponto importante, um grande número de empresas, associadas de rádio, tv e jornais financiaram a repressão militar, os assassinatos. Essas organizações e suas sucessoras continuam no controle das notícias.

Tenho acompanhado a publicação de suas fotografias. Desculpe-me pelo silêncio.

Nuno Sousa disse...

Meg, Não tem de pedir desculpa.
Estou a passar uma fase de "reflexão". À medida que avançamos, o caminho torna-se mais árduo, e sobretudo mais dificil de definir um rumo.
sinto-me à deriva.

Meg Rodrigues disse...

Nuno, você é um ótimo fotógrafo, gosto muito do seu trabalho. Mas entendo, é complicado definir um rumo sem uma razão, e a razão é a fotografia.
Obrigada. Venho desperdiçando o fôlego com os kibadores, fico mal-humorada e, além de tudo, sei que é perda de tempo.

Anônimo disse...

Oi Meg, Oi Nuno :-)
Recurso para esse projeto? Muito complicado!!!
As empresas apoiam projetos onde seus nomes possam aparecer,um patrocínio,apoio cultural,não?
Mas a Operação Condor me parece assunto meio..... Capcioso, não?
Como a produção cultural não é minha seara, tranquilamente posso estar equivocado, se é que compreendi a proposta do projeto.....
Moizes Vasconcellos

Meg Rodrigues disse...

Pelo charuto velho de Fidel, oi, Moizes!

Sim, bem complicado, mas devido a importância do projeto, João conseguiu realizar todas as etapas previstas.

Vi suas últimas fotos publicadas. Viajar é preciso, né, melhor ainda é voltar para Pelotas, "doce Pelotas". Muito bom.
Para matar a saudade do nosso amigo Versiani, visitei o blog da Feijãozinha. Tem uma foto do Gabrielito de Harry Potter e ela de coruja do Harry, que é a coisa mais fofa.

um abraço!

Anônimo disse...

Olá Meg! :-)
Fidel Castro??? Ora! Pero que se hay gobierno, soy contra!!!!hahahaha
Nunca mais sou noticias de Don Versiani, bom feijãozinho era uma simpática bebezinho sem dentes quando a vi nas fotos do vovô mais coruja "do mundo mundial" ... Acho até que para se livrar de mim ele não para de pular de blog em blog!!!...
Um grande abraço Meg, cá dos confins dos confins do Rio Grande. Moizes:)

Giuliano Quase disse...

saiu um documentário sobre esta operação na américa latina.

já assitiu o cidadão boilensen?

bem, pra gente dialogar: cito silviano santiago:

autoritarismo militar, repressão, censura, tortura não são produtos de uma determinada e específica realidade histórica brasileira, quando muito são produtos de uma dada realidade econômica [...] aquele que tem interesse em "financiar" o autoritarismo, a repressão etc., em países como o Brasil.

Giuliano Quase disse...

ah, meg, tu não tienes nada sobre samba no Rio de Janeiro?

sei que o Paulo lins publicou um livro. desde que o samba é samba. acho que é assim que se chama.

e por falar em rio, joão antonio registrou os passos de lima barreto pelos barecos.

Meg Rodrigues disse...

Puxa vida, saudades de você, Giuliano.

Não assisti, não. Recentemente mudei de cidade, e não tem filmes documentário na locadora mais próxima.

Obrigada pelo texto. Pesquisando sobre Herzog, li ótimas entrevistas com Silviano.

Fiz um post sobre samba, pero no publicado. As melhores fotos estavam no acervo do extinto JB, Ariovaldo dos Santos, Almir Mavignier, Alberto Jacob. Descobri uma fotografia do Cartola subindo o morro da Mangueira, do Walter Firmo, João da Baiana e Pixinguinha em frente à Uisqueria Gouveia, na rua do Ouvidor e outras imagens e textos de Ary Vasconcelos.
É complicado. Já comprei foto de arquivo e foi reproduzida sem autorização em outros blogs, tipo "caiu na rede é peixe".
Obrigada pelas dicas!