quinta-feira, 17 de julho de 2008

Sonho

"A fotografia, como a de José Medeiros, nos faz viver, em renovado feitio, algo que impregna nossa vida afetiva, compartilha de nossas emoções. (...) A foto no momento em que a olhamos, provoca evocações, revela as imagens que nos habitam. Dentro e fora. A fotografia promove a desordem da realidade. Nesse sentido, ela não é o real, mas o sonho. Ou melhor: é o real reconstruído, articulado e costurado de outra forma, de uma forma semelhante ao sonho. (...) Como explica Antonio Damásio em O Mistério da Consciência: "As imagens são construídas quando mobilizamos objetos - de pessoas e lugares a uma dor de dente - de fora do cérebro em direção a seu interior, e também quando reconstruímos objetos a partir da memória, de dentro para fora, por assim dizer. A tarefa de produzir imagens nunca cessa enquanto estamos acordados e continua até mesmo durante parte do nosso sono, quando sonhamos".
© Leonel Kaz (Olho da Rua: O Brasil nas fotos de José Medeiros)

Foto: © José Medeiros

5 comentários:

vertigem disse...

olho essa foto e penso em pierre verger.......sera que zé medeiros se inspirou ? pq o jeito do olhar faz pensar....

Meg disse...

Ou talvez um olhar próximo de Marcel Gautherot...

vertigem disse...

meg, olha so a cena que està rolando na frente desses dois ai :


http://www.pierreverger.org/fr/photos/photos_albums.php?leAlbumID=2

Meg disse...

Tem razão...
caramba,já vi que vou aprender muito com você.
obrigada

Meg disse...

Vertigem,

Aprender significa pensar. No ensaio "velas" de Verger, os elementos da imagem sugerem movimento, ação, portanto, um outro olhar, bem diferente da imagem de José Medeiros. Hum?