quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Fotojornalismo (24)

Paul Fusco (© Magnum Photos) fotografou, em 2000, uma manifestação de protesto contra a violência policial americana, em razão da absolvição de quatro policiais. Em 5 de fevereiro de 1999, Amadou Diallo, um imigrante da Guiné, foi morto na porta de seu apartamento, no Bronx. Foram disparados 41 tiros, 19 atingiram Amadou enquanto ele puxava a carteira para mostrar sua identidade. O assassinato causou indignação dentro e fora de Nova York e foi visto por muitos como uma brutalidade policial decorrente de uma cultura de perfil racista. Paul Fusco encontrou vários obstáculos para a publicação dessas imagens e não foi a primeira vez. Em 1997, Fusco enviou para todas as grandes revistas, suas fotografias sobre o desastre nuclear de Chernobyl. Sua última tentativa foi a revista Life, que acabou devolvendo as fotos alegando que não seria possível publicá-las. Depois, Paul Fusco ficaria sabendo que durante a reunião de pauta, um dos editores, olhando as fotografias, disse - "Será que ele não tem algo de bom sobre radiação?"

3 comentários:

José Boldt disse...

Meu caro Meg

Este blog é de visita obrigatória para todos aqueles que veem na fotografia um veiculo de comunicação,
logo de partilha.

Pela qualidade da selecção das fotos, pela qualidade dos textos,
este blog é em si uma verdadeira aula de fotografia.

Tomei a liberdade de o Linkar no meu blog.

Muito obrigado
José Boldt

Meg disse...

Olá José Boldt,

Obrigada! Fiquei feliz com a sua visita.

Gosto muito de suas fotografias.

Um grande abraço da amiga,
Meg

vertigem disse...

conheço bem paul fusco e essa reportagem sobre chernobyl foi exposta em "visa pour l'image" nao lembro se em 97 ou 99...lembro de muita emoçao e paul que nao conseguia descrever direito a alienaçao dos editores, desanimado com o fotojornalismo...

http://inmotion.magnumphotos.com/essay/chernobyl