sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Os graffitis de Brassaï





















Durante as suas andanças parisienses, é que Brassaï (Gyula Halasz 1899 -1984), a partir de 1932, começa a fotografar os graffitis das paredes de Paris. A revista Minotaure (1933) publicará algumas das suas imagens como ilustração de um artigo escrito pelo próprio Brassaï e intitulado: Da parede das cavernas à parede de fabrica. Durante cerca de vinte anos, Brassaï vai fotografar esses graffitis, anotando cuidadosamente num caderno de notas a sua localização para prosseguir e anotar as sucessivas modificações. O fotógrafo transforma a arte do homem comum em algo diferenciado, uma imagem repleta de arquétipos e símbolos. Esta série foi publicada em um livro, em 1960, com prefácio de Picasso. "Não invento nada. Imagino tudo... a maior parte das vezes, extraí as minhas imagens da vida jornalística à minha volta. Acho que é a captação mais sincera e mais humilde do real, do mais cotidiano, que leva ao fantástico."
© Brassaï

2 comentários:

vertigem disse...

alo meg ! depois de 1 semana de loucura fotografica e muita festa em "visa pour l'image" em perpignan, umas viagens imprevistas e muito, mas muito trabalho,
oi eu aqui de novo,
xaxando
oi eu aqui de novo
para xaxar ! :-)

vou tentar ler todos os posts que perdi...

beijos, bom dia pra vc !

Meg disse...

Oi Vertigem,

Não faço a menor idéia do que seja "xaxar", mas pode ir "xaxando" as novidades! O que viu e o que não viu.
Beijos