quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Fotojornalismo (27)


A guerra civil no Sudão, que terminou em janeiro de 2005, depois de 21 anos de conflito e após a assinatura de um acordo de paz entre o Sul e Cartum, provocou o deslocamento de quatro milhões de pessoas para o Egito, a maioria deles originários de Darfur. Os refugiados sudaneses são alvos de discriminação racial por parte dos egípcios civis e policiais que recorrem frequentemente à violência. Os sudaneses esperam que o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) no Cairo reconsidere as demandas de asilo rejeitadas pelo organismo e desejam ser instalados em países como Canadá, Estados Unidos ou Austrália. As crianças sudaneses não têm acesso às escolas, são salas de aula improvisadas e apesar de seguirem o currículo oficial, o governo egípcio não reconhece o ensino. Em 2007, as estimativas das ONGs haviam registrado um número de não-inscritos, possivelmente dois milhões de refugiados. Os sudaneses tentam uma possível fuga para Israel, uma viagem perigosa, uma vez que o Sudão e Israel são oficialmente países inimigos, a fronteira está fechada para eles.
Fotos: © Jahi Chikwendiu (The Washington Post)

2 comentários:

Clara disse...

"As crianças sudaneses não têm acesso às escolas, são salas de aula improvisadas e apesar de seguirem o currículo oficial, o governo egípcio não reconhece o ensino."

Como hoje é o Dia Internacional para a Erradicção da Pobreza e Exclusao Social, os órgãos máximos de uma sociedade relembram que existe uma percentagem incómoda de pessoas que vivem no limiar da pobreza e, diariamente, são expostas às formas mais crueis de exclusão social. Mas só hoje... Infelizmente, estas pessoas têm de viver e morrer dentro de uma situação que é o Tentado à condição de Pessoa.

As fotografias são espantosas... Beijinhos

Meg disse...

O fotojornalismo me fascina. Valorizo a fotografia que fornece informação, mas não deixa de ser uma coisa complicada entre a representação e a realidade. Em todos os posts de fotojornalismo não é possível mostrar toda a realidade, é uma parte dela.

Vi que você publicou as fotos da matéria "Os caminhos da fome", e um outro post sobre as favelas. Muito bom, é importante divulgar e reconhecer os problemas da nossa sociedade.

Mas veja que loucura, Clara. Existe um sentimento e uma atitude ao publicar essas fotografias, tão próximas aos olhos, com o coração apertado e tão longe de tudo isso...fascinada pela imagem, complicado, não é?

Beijos