sábado, 2 de maio de 2009

Joseph Beuys e o coiote

Na década de 1970 muitos fotógrafos produziram em estúdio, composições fotográficas a partir de uma representação teatral. A câmera era usada para exteriorizar e interpretar as mediações artísticas entre o homem e o mundo. A fotógrafa Caroline Tisdall documentou a primeira tentativa de registrar um desempenho por Joseph Beuys em livro. Em maio de 1974, Beuys (1921-1986), artista e professor na Academia de Arte de Düsseldorf, onde ensinou uma geração de artistas alemães, passou sete dias e noites com um coiote selvagem em uma sala da Galeria René Block, na Broadway, Nova York. O livro "Coyote" (performance "I Like America and America Likes Me") foi publicado em 1976.
Foto: © Caroline Tisdall

Um comentário:

Clara disse...

"A câmera era usada para exteriorizar e interpretar as mediações artísticas entre o homem e o mundo."

Na minha opinião, a câmera capta pormenores que a olho nu passariam simplesmente despercebidos. Ver o mundo através da objectiva de uma máquina fotográfica é ver o mundo tal como ele é.

Beijinhos